por Brasil

Viagem a Fernando de Noronha

Confira nosso roteiro de 04 dias pelas belas praias de Noronha!

 
Viagem a Fernando de Noronha

Tudo de bom que você viu ou ouviu falar sobre o arquipélago de Fernando de Noronha provavelmente é verdade: um paraíso na terra, lugar onde você se conecta com a natureza e esquece do mundo, curtindo as praias e paisagens estonteantes. Não duvide, a frase que você mais vai escutar por lá é o famoso “ai, que lindo” – e muitos guias adoram fazer gracinhas com isso. Confira o roteiro do BLOG MALAS PRONTAS, para aproveitar melhor o seu tempo por lá.
 
Além de admirar e curtir algumas das praias mais bonitas do mundo, há uma infinidade de atividades que você poderá praticar: trilhas, mergulho, snorkel, passeios de bicicleta, moto ou bugres etc. E há também restaurantes maravilhosos, onde a dica (é claro) é pedir peixe – sempre fresco e saboroso, seja preparado por pescadores, num restaurante mais simples, ou nas opções gastronômicas mais elaboradas.
 
Só não caia na armadilha: mariscos, como camarões, não são pescados na ilha. Eles chegam em barcos, assim com a carne de boi, e por isso não são frescos – e seus preços são mais salgados.
 
As ilhas
O arquipélago vulcânico é formado por diversas ilhas e ilhotas, visíveis e submersas, sendo que a principal tem pouco mais de 18 km². A área, que pertence ao Estado de Pernambuco (apesar de estar geograficamente mais próxima do Rio Grande do Norte) já funcionou como uma base militar e uma prisão, mas hoje sua população vive dedicada ao turismo ecologicamente sustentável. Por isso só são permitidos 700 visitantes por noite. Esse limite preserva a natureza, além de tornar o local exclusivo - e, consequentemente, mais caro.
 
Viagem a Fernando de NoronhaCOMO CHEGAR: De avião, pela empresa GOL, através de Recife, ou pela AZUL/TRIP, por Natal. Se você não estiver partindo de uma dessas cidades, saiba que as conexões farão parte de sua viagem. O transfer de para o aeroporto não é problema: várias pousadas e receptivos já fornecem essa cortesia. Portanto, preste atenção neste aspecto quando fechar a hospedagem ou algum passeio.
É possível também chegar de cruzeiro durante os meses de maré alta, geralmente entre dezembro e março - mas pode não ser uma alternativa viável se você for propenso a enjoos, pois os navios que chegam em Noronha não são aqueles transatlânticos imensos e balançam um pouco. Fora isso, em alguns anos já foi proibida a entrada de cruzeiros na ilha em razão do impacto ambiental.
 
QUANDO IR: A temporada seca vai de agosto a fevereiro e a chuvosa de março a julho. Se o seu lance é o surfe, vá entre os meses de dezembro e março, ideais para a prática do esporte, com excelentes ondas. Se prefere um mar calmo e com boa visibilidade para mergulho a melhor época é entre agosto e setembro. Os meses que mais chovem em Noronha são março e abril, mas em compensação são bons meses para negociar a estadia por um melhor preço.

Seu destino preferido é a praia? Confira aqui as mais belas opções do litoral paulista
 
 
ONDE FICAR: As opções mais baratas e centrais estão na Vila dos Remédios e na Vila Floresta Nova. Há opções na Vila do Trinta, mas o lugar não é tão estratégico para quem quer se locomover a pé em algumas ocasiões.
 
Ficamos na Pousada Lenda das Águas, hospedagem simples na Vila Floresta Nova, com um café da manhã singelo e pessoal bastante solícito (pra falar a verdade é impossível encontrar alguém estressado ou de mal com a vida trabalhando em Noronha). Os quartos e banheiros são pequenos, mas limpos e com opção de chuveiro com água aquecida. A pousada não tem piscina e outros atrativos, mas é uma boa opção custo-benefício. Diária a partir de R$ 300,00.
 
Em Noronha, temos basicamente quatro tipos de hospedagem: as pousadas domiciliares, mais simples e baratas, administradas pelos moradores tradicionais (diárias variam entre R$ 250,00 – R$ 350,00), as intermediárias (a partir de R$ 400,00), e as de alto luxo (a partir de R$ 1.000,00 a diária em alta temporada). Quem quiser mais informações detalhadas sobre hospedagem em Noronha sugiro o Blog Viaje na Viagem, de Ricardo Freire, que tem informações completas, com mapa e foto das pousadas que ele visitou pessoalmente.
 
Viagem a Fernando de Noronha
ROTEIRO PARA 4 DIAS EM NORONHA
 
Muitos perguntam qual o tempo necessário para conhecer Fernando de Noronha. Em quatro dias você conhece ‘o básico do básico’ da ilha, mas pode acreditar: Noronha tem muito a mostrar para aqueles que passam uma semana (ou um pouco mais) por lá. Sugerimos o roteiro para quatro dias, que foi o tempo que passamos na ilha.
 
Quem vai ficar no arquipélago por este período precisa se organizar logo na chegada, para conseguir fazer os passeios obrigatórios para os marinheiros de primeira viagem: o Ilha Tour, que dura um dia inteiro, e o Passeio de Barco à Baía dos Golfinhos, que deve ser feito pela manhã.
 
DIA 01: ILHA TOUR

O Ilha Tour é um passeio feito numa 4x4 que percorre as principais praias de Fernando de Noronha: Sancho, Cacimba do Padre, Sueste, Leão e Baía dos Porcos, finalizando com o pôr do sol no Mirante do Boldró. Esse tour é ideal para o primeiro dia livre na ilha, para você se localizar e se familiarizar. (Valor: R$ 125,00 por pessoa)
 
Nesse passeio, você percorre uma trilha tranquila para chegar ao Mirante da Praia do Sancho e da Baía dos Porcos, parada obrigatória para várias fotos. É nesse mirante que todo mundo tira aquela foto clássica com os morros “Dois Irmãos” ao fundo. Essas duas trilhas são curtas e muito cômodas, até aqueles mais preguiçosos ou medrosos realizam o percurso, em passarelas que ficam sobre a mata atlântica.

Viagem a Fernando de Noronha
As passarelas foram construídas pela Concessionária do Parque Nacional Marinho, que investiu também nos mirantes. Toda a trilha é percorrida sob um tablado de madeira biossintética e os mirantes seguem a mesma estrutura, proporcionando acessibilidade para todos. Além disso, há os PIC’s (Pontos de Informação), onde você pode comprar bebidas, comidas, souveniers e ainda ir ao banheiro ou tomar um banho de água doce no retorno da praia.
 
É neste passeio também que você terá a oportunidade de acessar, por terra, a Praia do Sancho, que foi eleita a mais bela praia do mundo, segundo a pesquisa Travellers' Choice, do site TripAdvisor.
 
O acesso por terra é um pouco complicado: para chegar à praia você desce duas escadas de bombeiro fixadas em uma fenda no meio de uma rocha (você olha pra frente tem uma rocha e um palmo atrás de você tem outra); depois você desce vários lances de uma escada feita no chão batido. Uma pequena aventura necessária para curtir toda a beleza da praia, com suas águas límpidas e cardumes de sardinha a poucos passos da beira-mar, ideal para a prática de snorkel.
 
Depois de experimentar as mais belas praias de Noronha, avistando a Baía dos Porcos de cima e mergulhando no Sancho, a excursão segue para a Baía do Sueste, que é simplesmente deslumbrante (uma das minhas preferidas). A praia é linda e tranquila, com poucas ondas, ideal para quem vai com crianças. Além disso, o Sueste é acessível aos deficientes físicos, há um caminho específico para chegar às areias, além de cadeiras de rodas anfíbias, que vão para a água.

Viagem a Fernando de Noronha
Uma detalhe importante: os tubarões adoram esta praia, é muito provável que num mergulho no raso você se depare com um deles, mas não se assuste: em Noronha tudo anda em equilíbrio e eles não dão a mínima para os humanos. Na verdade, o encontro tubarões, tartarugas, sardinhas e outros peixes, estará na sua rotina.

Viagem a Fernando de Noronha
 

Depois de uma parada para almoço, conhecemos a Praia do Leão, somente através do mirante, pois o mergulho é proibido. Lá fica a Capela de São Pedro dos Pescadores (que parece abençoar o mar de Noronha) e o Museu do Tubarão. Depois, fomos na Cacimba do Padre, que é uma praia mais agitada, com fortes ondas. É o point dos surfistas, um dos locais mais cobiçados pela galera das pranchas. Finalizando o passeio: o pôr do sol no Mirante do Boldró, o mais bonito da ilha – onde há um barzinho simples e agradável, com bons drinks e música sempre no clima certo.

Curte praia? Conheça a Praia do Saco, em Sergipe
 
DIA 02: PASSEIO DE BARCO + BATISMO
 
O passeio de barco dura um turno e percorre as praias do chamado ‘mar de dentro’. Ele pode ser feito pela manhã ou pela tarde.
 
O passeio de barco à Baía dos Golfinhos é feito pela manhã. A principal atração surge no meio do percurso – e quase nunca falta: vários golfinhos acompanham o barco e dá pra vê-los nitidamente, ao redor. Todos voltam a ser criança admirando a beleza, destreza e velocidade dos mamíferos, que ficam girando em torno do eixo do próprio corpo, o que lhes garante o apelido de golfinhos rotadores. (Valor: R$ 115,00)
 
Viagem a Fernando de NoronhaMas essa é só uma das belezas do passeio, que percorre todo o Mar de Dentro, do Porto até o Sancho. No final, a embarcação para e os visitantes podem mergulhar nas águas calmas de Noronha.
As praias de Fernando de Noronha do Mar de Dentro, voltadas para o oeste, seguem esta ordem: Porto – Praia do Cachorro – Praia da Conceição – Boldró – Cacimba do Padre – Baía dos Porcos – Praia do Sancho. O passeio da manhã percorre todas essas praias.

Já o “Entardecer em Noronha” é outra opção, com saída do Porto, em direção ao Morro Dois Irmãos, retornando para finalizar com um mergulho na Conceição e um pôr do sol deslumbrante com direito a pirão de peixe, feito pelo dono do barco, com aquele peixe fresco – geralmente atum. (Valor: R$ 140,00)

Viagem a Fernando de Noronha

Muitas pessoas vão à Fernando de Noronha em busca do tão sonhado “batismo” – como é chamado o primeiro mergulho, com cilindro. Como os passeios de barco duram um turno, esse segundo dia é o ideal para o primeiro mergulho. O preço é um pouco salgado (R$ 360,00), mas vale a pena. O traslado está incluído, além de todo o equipamento e de um instrutor, que passa todas as diretrizes aos aprendizes antes de descer 12 metros, num mergulho que dura cerca de trinta minutos.
 
É clichê, mas a sensação de contemplar a fauna e flora de Noronha é indescritível. Mergulhado na imensidão azul é muito provável que você encontre alguns tubarões. Além de serem de espécies que não costumam atacar, no arquipélago eles não possuem motivos para avançar nos humanos, pois possuem comida à vontade. Tartarugas, peixes grandes, corais belíssimos e repletos de vida estarão sempre por lá. Se você já é mergulhador experiente, existem roteiros mais complexos, em profundidades maiores – incluindo alguns navios naufragados.

Viagem a Fernando de Noronha
 
DICA: O batismo não pode ser feito nos dias da chegada e da partida. Você não pode embarcar num avião no mesmo dia em que mergulhou, por conta da pressão auricular.
DIA 03: AQUASUB + PRAIA DA CONCEIÇÃO
 
Para aqueles que não tiverem coragem de fazer o mergulho com cilindro (e também para quem fez), aconselhamos que faça o mergulho a reboque, chamado de aquasub ou planasub. Neste passeio, você é puxado durante uma hora, por um barco, segurando uma pequena prancha, munido de máscara e snorkel. (VALOR: R$ 115,00)
 
A área para o mergulho não poderia ser melhor: em cima do navio naufragado no Porto. É possível avistar diversas espécies de peixes, isolados e em cardume, além de tartarugas marinhas, arraias, tubarões e imensos bancos de corais.

Viagem a Fernando de Noronha
 
Para aqueles não querem fazer mergulho de qualquer tipo, ainda há a chance de ver o fundo do mar através das lentes do barco do Projeto NAVI. É uma embarcação onde no seu fundo, ao invés de um casco, há uma imensa lente de aumento, de vidro, revelando todas as belezas do fundo do mar. (VALOR: R$ 150,00).
 
Depois do mergulho, nada melhor que descansar nas areias de um das praias de Fernando de Noronha, nós sugerimos a Praia da Conceição, para observar as gaivotas no céu.
 
DIA 04: PRAIA + ALMOÇO NA POUSADA MARAVILHA
 
Para o último dia, escolha uma das praias de sua preferência, para se despedir de Fernando de Noronha. Eu escolhi a praia do Cachorro.
 
Para fechar a viagem com chave de ouro, agende um almoço na Pousada Maravilha. O restaurante da pousada tem posição privilegiada - em frente à Baía do Sueste – e o cardápio enaltece a culinária local, com muitas opções de peixes.

Viagem a Fernando de Noronha
 

ONDE COMER:
Para um almoço especial, além da Pousada Maravilha, indicamos o restaurante O Mergulhão, na praia do Porto, com ambiente especial, bem decorado e com vista igualmente privilegiada, além de ter o melhor peixe que experimentei na ilha.
 
Para quem quer badalação e variedade de pratos, o Festival Gastronômico do Zé Maria é uma opção e já virou uma atração tradicional de Fernando de Noronha. O festival ocorre todas as quartas e sábados, a partir das 20 horas. Participar dele não é barato: você vai desembolsar por volta de R$ 150,00 para comer à vontade, mas a bebida não está inclusa.
 
No buffet, é claro, muito peixe, temperado com ervas e verduras orgânicas, plantadas na horta que é possível ver da sacada do restaurante. A variedade de pratos é muito grande, incluindo pratos regionais e internacionais, mas sempre com um toque diferenciado e criativo. Imperdível.
 
Para um jantar delicioso, indicamos o Cacimba Bistrô, que fica no centro histórico da Vila dos Remédios, no meio da ladeira próxima ao Palácio-sede da administração da ilha. Ótima comida, ambiente agradável, sempre com boa música de fundo, atendimento bom, eficiente e sem frescura.

Viagem a Fernando de Noronha

TAXA DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL E INGRESSO AO PARQUE NACIONAL MARINHO: Fernando de Noronha se divide: uma parte da ilha é uma área de preservação ambiental (APA) e o outro pedaço é um parque marinho. Por isso, o turista que desembarca por lá tem que pagar, ainda no aeroporto, a taxa de preservação ambiental, no valor de R$ 51,40 por dia, e o ingresso para acesso ao Parque Marinho, que custa R$ 81,00 e vale por dez dias.
 
É possível visitar as praias de Fernando de Noronha sem pagar alguma dessas taxas? A taxa de preservação ambiental é obrigatória, não tem para onde correr. O ingresso do parque marinho não é obrigatório, mas você não vai querer sair da ilha sem conhecer as praias que ficam na área do parque: Baía dos Porcos, Sancho, Sueste, Atalaia e Leão.
 
Para evitar filas para pagamento da taxa no desembarque do aeroporto, retire o boleto pela internet, no site http://www.noronha.pe.gov.br/. O ingresso ao Parque Nacional Marinho também pode ser adquirido pela internet (https://www.parnanoronha.com.br/vendas/vendaonline.aspx).
 
DICA ESPERTA: Os maiores de 60 e menores de 12 anos são isentos do pagamento para ingresso ao parque nacional marinho, mas devem ir a um dos pontos de venda para adquirir o cartão.

Viagem a Fernando de Noronha
INFORMAÇÕES ADICIONAIS

Palestras do Projeto Tamar: Todo mundo pensa que é programa de índio, mas são muito legais, informativas, didáticas, dinâmicas e rápidas. Vale a pena passar no Projeto Tamar antes de um jantar. A programação você encontra nesse link aqui: www.tamar.org.br/centros_visitantes.php
 
Água: Uma garrafa de água em qualquer bar de praia sai por R$ 5,00, a garrafinha que fica no frigobar do quarto da pousada custa o mesmo – mas a garrafa com 1,5 litro de água, no supermercado, também custa R$ 5,00.
 
Roupas: Leve roupas frescas e um casaquinho leve para a noite (lá venta muito). Não se esqueça que fará trilhas, então tênis e mochila para as caminhadas. Se não tiver máscara, snorkel e câmera subaquática, não tem problema, você consegue alugar lá por um preço justo, num stand de madeira que fica no Porto.
 
Dinheiro: Não confie no cartão de crédito, pois nem todos os estabelecimentos aceitam, já que o sinal de internet não é muito bom na ilha. Leve dinheiro suficiente, até porque só há um caixa 24 horas, do Banco Santander, na Vila dos Remédios.
 
Filtro Solar: Tenha filtro solar à mão sempre. O sol de Fernando de Noronha costuma queimar mais do que o normal, resultado da interação com as rochas da ilha, que são vulcânicas.
 
Ao fim de quatro dias, você estará apaixonado pela ilha, mas não se empolgue querendo levar uma conchinha de Fernando de Noronha de lembrança para casa. Catar conchas lá é terminantemente proibido.
 
#Fernando de Noronha #Pernambuco #Brasil #Praia


Deixe um comentário