Américas

Uruguai: o pequeno notável da América do Sul

Os amigos e colaboradores Jorge Santana e Eloísa Galdino contam como foi a experiência deles em Montevidéu e Punta del Este, no Uruguai. Confiram suas dicas e impressões sobre o nosso vizinho.

Uruguai: o pequeno notável da América do Sul
Foto: Wikipédia/Plaza Independencia

Visitar países da chamada América Espanhola é sempre uma oportunidade de mergulhar na história de uma parte do continente americano, na qual o processo de surgimento das nações deixou marcas na vida política e econômica de cada um desses países. Ser independente, autônomo e próspero é causa comum a todos os hermanos latinos.


Estive no Uruguai há cerca de 15 anos para participar de um encontro de empresas de tecnologia, encontrei um povo triste e que sobrevivia, como nós brasileiros, aos desanimadores anos 90. Não havia sinais de prosperidade e o baixo dinamismo da economia estimulava os jovens a fugirem para a Espanha em busca de oportunidades. Agora, como turista e em viagem de casal, encontramos outro país, muito diferente daquele.

Curte a América do Sul? Confira então a primeira parte de nosso roteiro de 5 dias em Santiago do Chile.

Foto: Jorge Santana


Uruguai: o pequeno notável da América do SulO Uruguai é um país de 3,8 milhões de habitantes, sendo que quase a metade vive na grande Montevidéu. Por trás do seu PIB minúsculo (cerca de US$ 70 bi frente a US$ 3 tri do Brasil) escondem-se indicadores invejáveis, como o IDH situados entre os melhores do continente.


Outro aspecto relevante é o vanguardismo da sociedade uruguaia em direitos civis: pioneira na legalização do divórcio (1907), segundo país sul-americano a conceder o direito feminino ao voto (1932), primeiro a legalizar o casamento homoafetivo e a permitir a adoção homoparental (2007).


Em 2013, tornou-se o primeiro país do mundo a legalizar o cultivo, a venda e o consumo da maconha.


Tudo isso deve ser considerado quando você incluir o país em seu roteiro turístico. Afinal, esses aspectos se refletem na forma como os uruguaios enxergam o mundo.

Santiago do Chile também é um destino bem interessante, próximo e acessível: confira aqui a segunda parte de nosso roteiro de 5 dias pela cidade.

Desembarcamos no moderno Aeroporto de Carrasco por volta das 8h de uma sexta-feira, depois de um vôo de apenas duas horas de duração desde Guarulhos, para nossa curta temporada de quatro dias.

Uruguai: o pequeno notável da América do Sul
Foto: Divulgação/Aeropuerto de Carrasco

Seguimos de taxi (US$ 50,00 pagos com cartão de crédito no guichê) até o Hotel Mercure Punta Carretas (US$ 100,00 a diária via Hoteis.com). O trajeto dura cerca de 30 minutos e segue pela Rambla, enorme avenida que beira o Mar del Plata, bem cuidada e politicamente correta, com seus prédios baixos. O hotel, aconchegante e moderno, fica na Rambla Ghandi e os apartamentos da frente têm uma vista exuberante.

Confira aqui também o roteiro do amigo Jorge Santana em Bogotá.
 

CIUDAD VIEJA E TEATRO SOLIS

Malas arriadas, hora de dar vazão à ansiedade e correr para a Ciudad Vieja, centro antigo da capital uruguaia. Fomos de ônibus até a Plaza Independencia, onde está o Palácio Presidencial.

Foto: Divulgação/Teatro Solís
Uruguai: o pequeno notável da América do SulBem próximo a ele está o majestoso Teatro Solís, cuja visita guiada é obrigatória. Além de termos conhecido a beleza arquitetônica e a história do belo e conservado teatro, fomos brindados com performances dramáticas de jovens atores uruguaios.

A visita é uma verdadeira imersão na forma como o governo uruguaio trabalha a política cultural, pois nela é possível perceber a integração entre patrimônio histórico e os mais diferentes “fazeres” que ele pode engendrar.

O que fazer em Buenos Aires? Conheça o Museu dos Beatles!
 

QUANTO LEVAR?

Na caminhada em direção ao Mercado del Puerto existem várias casas de câmbio, como de costume com cotações muito melhores do que as dos aeroportos (Guarulhos e Carrasco), atualmente 7,8 pesos uruguaios por real.


Para poucos dias, basta converter R$ 500,00 para táxis e pequenas despesas. Importante lembrar que nas despesas de restaurantes os 22% do IVA (equivalente ao nosso ICMS) são automaticamente creditados no cartão, ou seja, nada de pagar essas contas em dinheiro.


É muito comum táxis e lojas aceitarem o real, mais uma razão para não se fazer câmbio de valores elevados.
 

MERCADO DEL PUERTO

O Mercado del Puerto é uma atração à parte, hoje transformado em um espaço de gastronomia dedicado à parrilla. São vários restaurantes com seus braseiros assando carnes e chorizos (um embutido escuro), com balcões e mesas espalhados por todo lugar.
Uruguai: o pequeno notável da América do Sul
Foto: Mercado del Puerto/Jorge Santana

Em mercados, preferimos sempre os balcões e aqui não foi diferente. Para começar, uma cerveja Zillertal (deliciosa lager local) bem gelada. A carne escolhida foi picanha e o tinto um Pisano, da cepa tannat, naturalmente.


Fomos ao Mercado del Puerto de táxi. A tarifa, na maior parte das vezes, foi bastante razoável, variando entre R$10 e R$20.

Conheça aqui outro destino encantador da América do Sul: Bariloche (Parte I)
 

VINHO

O vinho é uma das marcas registradas do Uruguai, reconhecidos e premiados mundo afora, sobretudo da uva tannat e seus cortes com merlot e tempranillo. Experimentamos vários rótulos e todos surpreenderam: Pisano, Don Pascual, Cata Mayor, Juan Carrau, Prima Donna, Bousa e muitos outros.


São várias as vinícolas nas imediações de Montevidéu, sendo indispensável visitar uma delas. Escolhemos a Bousa e tivemos a melhor experiência de todas as vinícolas que já visitamos. O guia compartilhou muito de seu conhecimento e mostrou detalhes do cultivo da uva e da produção dos vinhos.
Uruguai: o pequeno notável da América do Sul
Foto: Vinícola Bouza/Jorge Santana

Descobrimos um dos segredos da alta qualidade (e do preço mais elevado) dos vinhos uruguaios: praticamente todos estagiam ao menos seis meses em barris de carvalho, requisito essencial para dar qualidade superior a esta nobre bebida.


A sessão de degustação se dá no elegante restaurante da vinícola, em mesas separadas e sem pressa. Entre a visita e a degustação lá se vão quase duas horas.

Confira aqui tudo sobre um dos destinos mais populares da América Latina: Bariloche (Parte II)
 

PUNTA DEL ESTE

Um dos dias foi dedicado ao bate-volta a Punta del Este, que fica a apenas 130 km de Montevidéu por uma moderna rodovia pedagiada (dois pedágios de 65 pesos na ida e na volta, portanto, 280 pesos pagos em espécie).


Fora do verão, Punta fica melancólica, como todos os balneários, mas vale a pena conhecer seus encantos. A visita à Casapueblo, construída e onde viveu Carlos Paez Vilaró, o maior artista uruguaio, situada logo na entrada de Punta, é mandatória.

Uruguai: o pequeno notável da América do Sul
Foto: Casapueblo/Jorge Santana

O visual é belíssimo e a exposição de peças do artista merece ser vista. Para ir a Punta e à Bodega Bousa, alugamos um carro na Thrifty, com tarifa relativamente alta para um veículo compacto e já bastante rodado (US$ 150,00 para dois dias com seguro).
 

GASTRONOMIA, BALADA E COMPRAS

Uruguai: o pequeno notável da América do SulA gastronomia uruguaia é outra atração. Apesar do predomínio das parrillas, os frutos do mar marcam presença em uma boa oferta de restaurantes. Destacamos o El Viejo y El Mar, o Nico by La Barca e o Francis (tido como o melhor da cidade, necessita que se faça reserva previamente).


Na noite do sábado, depois do jantar passamos em uma das casas de baladas, a Circus, que fica nas proximidades do Montevidéu Shopping, área onde se situam restaurantes e danceterias.

Foto: Divulgação/Uruguay Natrual

Para quem curte compras nas viagens, o Uruguai não é local indicado. Em geral seus preços são mais elevados do que os nossos. Já os preços dos restaurantes são muito similares, ou seja, tão altos quanto os praticados aqui.


O Uruguai atual é uma daquelas belas surpresas dos nossos arredores, lugar marcante, cheio de identidade e com uma gente feliz e receptiva. É mais um destino que vale como aula que resgata figuras como Simon Bolívar e seu sonho de uma América Latina livre, forte e unida.


Ele morreu pela causa e, de uma forma ou de outra, os processos de independência aconteceram, ou ainda estão acontecendo. Cada encontro com um lugar latinoamericano vai fortalecendo na gente a crença na nobreza da causa de Bolívar e nos fazendo entusiastas dela nos dias atuais.
 
#Uruguai #Montevidéu #Punta del Este


Deixe um comentário