Uma viagem a Santiago do Chile

Uma viagem a Santiago do ChileSantiago do Chile caiu no gosto do viajante brasileiro, e não é para menos: a cidade é charmosa, cercada pela Cordilheira dos Andes, organizada e segura, com sistema de metrô eficiente e boa oferta de restaurantes e casas noturnas.
 
Apesar de toda a grandeza da capital chilena, é possível conhecer seus principais pontos turísticos em três dias e aproveitar os demais para ir a alguma das muitas vinícolas próximas ou para fazer um bate-volta.
 
Durante o verão, o ideal é reservar um dia para conhecer a histórica cidade de Valparaíso e o balneário de Viña Del Mar, que ferve entre os meses de dezembro e fevereiro. As duas cidades são muito próximas e é possível conhecê-las no mesmo passeio.
 
Já para aqueles que vão durante o inverno, mais especificamente entre os meses de julho e agosto, a pedida é visitar alguns dos centros de esqui próximos (Vale Nevado, El Colorado ou Farellones).
 
Mas vamos ao que interessa: confira o nosso ROTEIRO DE 05 DIAS EM SANTIAGO.
 
Dia 1 - ALMOÇO DE BOAS-VINDAS NO “AQUI ESTÁ COCO”/CERRO SAN CRISTÓBAL/LA CHASCONA/BALI HAI
 
Uma das melhores formas de aproveitar a capital chilena é à mesa. Por isso sugerimos um almoço no restaurante “Aqui está Coco”, no bairro de Providencia, para comemorar a chegada. Além de a comida ser ótima, o local é bastante aconchegante e com decoração impecável, de temática náutica.
Uma viagem a Santiago do ChileRestaurante Aqui está Coco (Foto: Divulgação)

Em Santiago, após o primeiro contato gastronômico dá para perceber que os peixes e frutos do mar são a essência da culinária chilena. Muitos viajantes experientes dizem que comeram por lá os melhores peixes, em comparação com outros países.
 
Aproveite para pedir duas espécies que não são encontradas com facilidade no Brasil: o congrio e a albacora. Mas o salmão também é diferenciado e a truta é outra excelente pedida, seja onde for.

Depois do almoço, regado a um bom Carmenére (a uva mais famosa do chile), vá ao Cerro San Cristóbal.
Cerro San Cristóbal

Resquício da Cordilheira dos Andes, o Cerro San Cristóbal é um dos pontos mais altos de Santiago, com 880 metros de altura, e proporciona uma vista privilegiada da cidade, além de um pôr do sol estonteante.

Uma viagem a Santiago do Chile
Vista Cerro San Cristóbal (Foto: Luciana Araújo)

Para a primeira parte da subida, tome o funicular, que fica na base do Cerro (horários e tarifas aqui). O piso de parada do funicular rende muitas e muitas fotos, mas para chegar ao cume do Cerro é preciso subir alguns degraus a pé. E pode apostar que vai lhe faltar fôlego, por conta da altitude.
 
Suba os degraus devagar e faça pequenas pausas para recobrar o fôlego até chegar ao topo do morro, onde fica o Santuário Nossa Senhora Imaculada Conceição. Lá em cima, a estátua da Virgem parece abençoar Santiago, tal qual o Cristo ao Rio de Janeiro.
Uma viagem a Santiago do ChileSantuário Nossa Senhora Imaculada Conceição (Foto: Divulgação/Parque Metropolitano)

O que mais impressiona neste Santuário é a devoção do povo chileno: há muitas velas, preces, placas de agradecimento por graças alcançadas, demonstrando que ali é um lugar de adoração, que foi abençoado pelo Papa João Paulo II, em uma missa realizada no ano de 1987.

Cerro San Cristóbal
Site: www.parquemet.cl/
Preço: Ida e volta de funicular a partir de 2.000 pesos
Horários: De terça a domingo, das 10:00 às 20:00

Conheça outros destinos na América do Sul! Veja aqui alguns pontos turísticos de Bogotá/Colômbia.
Casa de Neruda
Após a descida do funicular, siga para a casa onde viveu Pablo Neruda, apelidada de “La Chascona”. Basta sair à esquerda do Parque Metropolitano e você logo verá a placa indicando a direção da famosa casa do poeta, que fica numa charmosa rua sem saída.
 
Pablo Neruda construiu essa casa para Matilde Urrutia, amante que se tornou sua terceira esposa tempos depois. E em homenagem à sua avermelhada cabeleira apelidou a casa de “La Chascona” – que pode ser traduzido livremente como ‘a descabelada’.
Uma viagem a Santiago do Chile
La Chascona (Foto: Divulgação/Fundación Pablo Neruda)

Quando fomos a Santiago, um guia da própria fundação acompanhou nossa visita, mas agora eles trabalham com um sistema de áudioguia, que já está incluso no preço do ingresso.
 
Muitas pessoas não gostam de fazer visitas a museus com áudioguia (principalmente os brasileiros), mas nesse caso específico fará toda a diferença, porque cada um dos cômodos da casa guarda uma história e tinha um sentido específico para o poeta.
 
Assim, se você optar por caminhar a esmo, a casa será somente mais uma residência de bela arquitetura e interior excêntrico, mas ela é muito mais do que isso e reserva histórias interessantes sobre Pablo Neruda, a exemplo de seu fascínio pelo mar, que pode ser percebido na cozinha, que lembra o formato de um barco.

Uma viagem a Santiago do ChileCozinha da La Chascona (Foto: Divulgação/Fundación Pablo Neruda)

O fato é que a “La Chascona” não é somente uma casa, mas um museu: todos os móveis mantidos em seu interior são originais, além de cartas de Pablo Neruda e obras de arte, incluindo um quadro do mexicano Diego Rivera.

La Chascona
Site: www.fundacionneruda.org/es/la-chascona/informacion-visita
Preço: 5.000 pesos
Horário: Terça a Domingo, das 10:00 às 18:00 (excento nos meses de janeiro e fevereiro, eu encerra às 19:00)

Quer aproveitar uma cidade de montanha que não seja uma grande capital? Bariloche é a pedida ideal! Veja aqui o nosso roteiro!
 
Bali Hai
Para a primeira noite, reservamos um jantar-show no tradicional Bali Hai. O ideal é reservar o seu ingresso através de alguma agência (seja brasileira ou local) e já garantir o transfer, caso contrário pagará mais caro.
 
O espetáculo, que apresenta danças típicas de todo o Chile, em especial da Ilha de Páscoa, é bem interessante, mas não se trata de uma superprodução a la Señor Tango, em Buenos Aires. Dá para curtir o show se você for despido de um pré-conceito e sem grandes expectativas, além de interessado em apreender um pouco da cultura local.
 
Uma viagem a Santiago do Chile
Dia 2 - PLAZA DE ARMAS/PALÁCIO LA MONEDA/MERCADO CENTRAL /RESTAURANTE GIRATÓRIO

O ponto de partida desse segundo dia é a Plaza de Armas (foto do topo do post), berço histórico de Santiago, rodeada pelos principais edifícios da cidade: a Prefeitura Municipal, o Correo Central, o Museu Histórico Nacional, a Comunidad Edifício Plaza de Armas e a Catedral.
A Catedral de Santiago é um assombro. Por fora não dá para imaginar a imensidão do templo, herança da colonização espanhola, que tem três belas naves. Inclua neste dia, antes da visita ao Palácio La Moneda, o Museu de Arte Precolombino http://www.precolombino.cl/), classificado como um dos melhores da América Latina. Infelizmente quando fomos a Santiago, este museu estava em reforma.
Palácio La Moneda
Descendo mais duas quadras, você estará no belíssimo Palácio La Moneda, sede do governo chileno. Via de regra ele só pode ser admirado por fora, mas é possível fazer a visita guiada mediante agendamento prévio. O pessoal do Blog “Meus Roteiros de Viagem” explica direitinho o procedimento aqui.
 
Caso você não consiga fazer a visita guiada, não se preocupe, seu passeio não será em vão, a praça onde está situado o Palácio é muito bonita, com visual limpo e espelhos d’água que garantem ótimos cliques (foto acima).
 
Na parte subterrânea uma jóia escondida: o Centro Cultural La Moneda, que tem sempre exposições temporárias interessantes. Acompanhe a programação aqui.

Mercado Municipal
Depois de tanto rodar pelo centro, chegou a hora de visitar o Mercado Municipal e se deliciar no restaurante Donde Augusto. Para abrir o apetite, sugerimos um ‘pisco sour’, bebida feita a base de clara de ovo, aguardente e limão, que lembra o sabor de nossa caipirinha.
 
Se quiser provar vários tipos de frutos do mar, peça de entrada o “jardín de mariscos”, prato rico com diversas opções de camarões, ostras, vieiras – e outros menos comuns no Brasil.
 
Mas a principal atração do local é a centolla, caranguejo gigante do mar, cujo sabor é bastante diferente daquele que comemos no Nordeste do Brasil, mas igualmente gostoso.

Uma viagem a Santiago do ChileCentolla (Foto: Max Augusto)

Saiba que essa farra gastronômica no Mercado da Cidade, ao contrário do que se imagina, sairá bastante cara. Foi a refeição mais cara que fizemos no Chile, portanto prepare o bolso!
 
Saindo do Mercado, seguimos para o Parque de las Esculturas, que ficava bem próximo ao nosso hotel, no bairro Providencia. Passear por esse parque num fim de tarde é uma experiência muito agradável.
 
À noite, reserve com antecedência um horário para jantar no Restaurante Girátório, local classificado como imperdível na cidade. Você janta e aprecia a vista de Santiago enquanto o restaurante gira 360 graus de forma lenta e gradual, quase imperceptível.
 
O ideal é marcar a sua reserva no horário do pôr do sol, porque você terá duas perspectivas da cidade: uma de dia e outra de noite. A comida não é lá essas coisas, mas não chega a ser ruim. Vale o passeio.

*Esta matéria não é patrocinada e o BLOG MALAS PRONTAS não recebeu qualquer cortesia para publicá-la.
 
#Santiago #Chile #América do Sul


Deixe um comentário