por Américas

Roteiro Bariloche (Parte 1)

Confira a primeira parte de nosso roteiro em Bariloche (Parte 1)

Roteiro Bariloche (Parte 1)Roteiro Bariloche (Parte 1)
Contato com a natureza, paisagens que você só vê no cinema - ou no descanso de tela do seu computador. Muita neve, frio, esqui e uma excelente gastronomia. Assim é Bariloche, cidade Argentina localizada na região da Patagônia, aos pés da famosa cordilheira dos Andes. O destino é uma excelente opção romântica para casais em lua-de-mel, mas não deixa de ser boa escolha para a família: isso porque se muitos adultos voltam a ser criança, em contato com a neve, imagine como ficam as crianças. O BLOG MALAS PRONTAS publica nesta e na próxima edição algumas dicas sobre este que continua sendo um destino muito procurado pelos brasileiros.

A cidade de San Carlos de Bariloche fica na fronteira com o Chile, e muita gente opta por incluí-la no roteiro conhecido como “circuito dos grandes lagos”, que inclui províncias do Chile. É uma excelente viagem, com paisagens estonteantes, mas aconselhamos que você passe ao menos uma semana em Bariloche. Neste período, não vão faltar opções de lugares para comer e passeios belíssimos – além é claro, da prática de esportes na neve.

O idioma oficial da cidade é o “portunhol”. Brasileiros adoram arriscar algumas palavras em espanhol, enquanto os comerciantes se esforçam para falar um pouco de português. Existem vários hotéis três estrelas, organizados e bem localizados, com preços convidativos. Há também opções de alto-luxo. A dica é ficar próximo ao centro cívico, onde ficam lojas e restaurantes. Dá para andar a pé tarde da noite, sem preocupação. As opções de alto luxo são um pouco mais afastadas da cidade, para quem procura menos badalação e mais descanso ou exclusividade.

Um dos pontos que torna a viagem mais atrativa é o fato de a nossa moeda estar valorizada em relação ao Peso Argentino. Com isso, os comerciantes estão ávidos para receber em Real. Ou seja, não troque seu dinheiro por pesos – apenas uma pequena parte, para emergências. Praticamente todos os restaurantes, taxis, lojas e pontos turísticos aceitam reais ou dólares, pagando inclusive mais do que no Câmbio oficial. Mês passado as casas de câmbio na Argentina pagavam por um Real cerca de 3,35 Pesos. No comércio de Bariloche a cotação variava de 4 a 5 Pesos.

Roteiro Bariloche (Parte 1)Isla Victoria e Bosque de Arrayanes
O passeio lacustre é excelente para iniciar sua viagem. O embarque é feito no ‘Puerto Pañuelo’, que fica a cerca de 25 minutos do centro – as operadoras que vendem o passeio providenciam o translado do seu hotel até lá. O trajeto, pela avenida Bustillo, vai margeando o lago Nahuel Huapi, com suas belas montanhas nevadas. No caminho, tem as fábricas do tradicional alfajor Havana e da Frantom – empresa local que fabrica excelentes chocolates.

O passeio é feito em catamarãs, mas a Operadora Turisur, uma das mais respeitadas, oferece também outra opção de embarcação: um barco histórico, o ‘Victoria Modesta’. Planejado na Holanda, ele foi montado na Argentina em 1937 e faz parte da história de Barioche, tendo transportados presidentes e autoridades de várias partes do mundo. O barco é feito em madeira, com detalhes em bronze e é muito confortável, balançando pouco. O passeio também ganha um glamour especial.

No trajeto, além de contemplar as águas calmas e geladas dos lagos, as montanhas, bosques e residências chiques à beira do lago, uma das diversões é dar comida para as gaivotas que seguem a embarcação. Se tiver sorte uma das aves pegará um biscoito em sua mão, garantindo uma bela foto.

Roteiro Bariloche (Parte 1)Isla vitoria
Primeira parada. Na chegada, água calma e com um belíssimo tom de verde. Seguimos por uma pequena trilha pelo bosque, que possui árvores imponentes, típicas da vegetação local, de coníferas, com pinheiros muito altos. Mais paisagens espetaculares e passagem por uma praia de areia vulcânica. Na trilha, que é curta mas muito interessante, é possível ver pequenos bichos, como faisões e castores.

Se interessa por destinos latinoamericanos? Confira aqui um breve roteiro sobre Bogotá e comece a planejar sua viagem à capital colombiana.




Bosque de Arrayanes
Arrayanes são pequenos arbustos, que somente neste bosque, atingem dimensões gigantescas, de verdadeiras árvores. Ele é apelidado de “o bosque do Bambi”, porque Walt Disney teria se inspirado nele para desenhar o bosque do personagem. De uma beleza única, o tom da madeira e a formação dos galhos garantem ao passeio um lugar na sua memória, pelo resto da vida. Se estiver nevando, o lugar fica ainda mais bonito.

Ecologicamente correto, o passeio é feito por uma passarela, entre a vegetação. Lembrete importante: dentro do Bosque faz ainda mais frio do que fora, pois as árvores bloqueiam a entrada do sol. Portando, se agasalhe. No final, uma casa de madeira, igual ao do filme Bambi, serve um bom chocolate quente.

Não deixe de ir ao ‘El Patacon’

Roteiro Bariloche (Parte 1)Em Bariloche, tão imperdível quanto a neve e os passeios, é o roteiro gastronômico. As pções são diversas: da tradicional parrilla (o churrasco argentino), à comidas italianas, fundue e carnes de caça (javali, cervo e trutas). Um dos restaurantes mais tradicionais e muito procurado pelos brasileiros é o “El Patacón”, que fica a poucos minutos do centro. Pegue um táxi, não da para ir andando. Imperdível.

O lugar consegue a proeza de ter uma arquitetura e decoração rústicas, com aquele charme e clima típicos de regiões montanhosas, mas com extrema elegância e requinte. A lareira na sala de espera, com um belo lustre, a madeira das paredes e teto torna o ambiente diferenciado. À noite, a iluminação especial o também o destaca dos seus vizinhos e concorrentes.

O atendimento é muito eficiente e simpático. A carta de vinhos é ampla, e claro, só há argentinos. Mas é possível encontrar variedades pouco comuns, como a da uva Ancelota, da adega família Zucarddi.

As opções para o prato principal são muitas: cordeiro patagônico, carnes selvagens, além de grande variedade de pescados, como a truta e merluza negra – que pescadas nas águas geladas da região, não se confundem com as que consumimos por aqui, de criatórios. Há ainda massas caseiras, pratos vegetarianos, pratos para celíacos e menus infantis – tudo isso num cardápio com versão em português.

Mas a maior parte dos brasileiros vão para lá mesmo é comer carne. Os inconfundíveis e generosos cortes argentinos, com seus bois ‘red angus’ são muito pedidos, mas os brasileiros também vão em busca do bife de Kobe – aquele boi japonês que, segundo reza a lenda, passa o dia recebendo massagens, bebendo cerveja e escutando música clássica. É realmente uma iguaria única, que chega aos pratos argentinos mais barato do que aqui: é servido como bife de chorizo ou lomito (miolo de filé) por cerca de R$ 120– porção individual, com 250 a 400g.

Outra coisa interessante é que a cozinha do restaurante é aberta: qualquer um pode visita-la, a qualquer hora. É bom fazer reserva, pelo site ou pelo seu hotel, assim que você chegar em Bariloche.

Confira a segunda parte desse roteiro aqui!

Restaurante El Patacón
www.elpatacon.com

TURISUR
A Turisur é uma das agências que realiza o passeio pela Isla Victoria e Bosque de Arrayanes, contando com a opção do barco Modesta Victoria.
Rua Mitre, 219, Bariloche, Patagônia, Argentina
Tel: +54 (294) 442609 / 110 / 112
ventas@turisur.com.ar // www.turisur.com.ar
#Bariloche #Gastronomia #Onde comer #Restaurantes


Deixe um comentário